Moro está vivendo grande pressão em seu ministério
Moro está vivendo grande pressão em seu ministério

Moro vive pressão extrema após declarações de Bolsonaro sobre PF

Nesta quinta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro fez várias declarações sobre supostas intervenções na Polícia Federal do Rio. Contudo, a direção-geral da PF não gostou dessa atitude e está cobrando Sérgio Moro, ministro da Justiça e da Segurança Pública, que avalie esse acaso. Até mesmo uma crise interna já está sendo cogitada com demissão coletiva dos membros da PF.

A PF deixou a mensagem que não aceita a indicação “de cima para baixo” para que seja preenchido o cargo de superintendente no Rio de Janeiro. Se Moro não fizer nada, a coisa pode ficar complicada e o Planalto estaria tirando todo o poder que o ex-magistrado tem em seu ministério.

De acordo com informações do jornalista Breno Pires, do jornal O Estado de S.Paulo, se Bolsonaro insistir com esse tipo de intervenção, para Moro só restariam duas alternativas. Ele aceitaria a ação do presidente e perderia o controle da PF ou rejeitaria a intervenção e pediria demissão do cargo. Em suma, Moro vive uma grande pressão e está no meio entre a PF e Bolsonaro.

O presidente poderia até vetar algum nome que não esteja de acordo, entretanto, não poderia interferir com indicações. Apenas o diretor-geral da instituição pode fazer alguma indicação.

Editor e redator do Brasil no Ato

Nasceu em 06 de julho de 1980.

Graduado em Administração de Empresas pela FSA (Fundação Santo André-SP).

Juliano é colaborador do site Blasting News e Blasting Pop e formado em SEO pelo Senac.

 

e-mail: julianocari@hotmail.com

Telefone: (11) 9 7506 4202

Comentários: 1

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

  1. Presidente Jair Bolsonaro, o Ministro Sérgio Moro tem toda competência para administrar o Ministério da Justiça, acredito que a indicação ou demissão deveria partir do Ministro da Justiça. Outra, não confie na indicação da pessoa indicada de Manaus, geralmente são oportunistas, que gostam de se aproveitar da confiança e depois que estão no cargo só visam em seu próprio benefício.