Janaína Paschoal pede quebra de sigilo de investigações que mostram diálogos da cúpula do PCC
Janaína Paschoal pede quebra de sigilo de investigações que mostram diálogos da cúpula do PCC

Janaína provoca PT e quer saber sobre ‘diálogo cabuloso’ com PCC

A deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) publicou em seu Twitter uma manifestação pedindo para que a haja o fim do sigilo da investigação da Polícia Federal na Operação Cravada, onde os agentes prenderam a cúpula do coração financeiro da facção criminosa PCC. Ela insiste que as pessoas devem saber sobre as conversas dos traficantes que citaram ameaças contra o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, e um certo “diálogo cabuloso” que os bandidos estavam supostamente tendo com o Partido dos Trabalhadores. Janaína também provocou e pediu para que o PT também exigisse a quebra desse sigilo para mostrar que o partido está tranquilo em relação aos áudios divulgados.

A deputada comparou essa situação com o caso dos diálogos vazados entre Moro e o procurador da República, Deltan Dallagnol. De acordo com ela, o PT insistiu na tese de que os diálogos deveriam ser divulgados e jogou no ar que Moro foi parcial em suas decisões da Lava Jato. No entanto, agora que o partido foi citado pelo PCC, num tipo de “diálogo cabuloso”, a direção petista não está se manifestando. Além do mais, estão criticando Sérgio Moro por ser responsável pela divulgação dos áudios. Eles querem processar o ministro através do Supremo Tribunal Federal (STF). Isso revoltou a deputada Janaína Paschoal.

“Pela gravidade da situação, o povo tem direito a saber o que tem lá. O PT deveria ser o primeiro a solicitar a retirada do sigilo.”, disse ela.

Editor e redator do Brasil no Ato

Nasceu em 06 de julho de 1980.

Graduado em Administração de Empresas pela FSA (Fundação Santo André-SP).

Juliano é colaborador do site Blasting News e Blasting Pop e formado em SEO pelo Senac.

 

e-mail: julianocari@hotmail.com

Telefone: (11) 9 7506 4202

Comentários: 0

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *