Pesquisadores japoneses descobrem como ‘implantar pensamentos’

A comunidade científica está ávida para saber mais sobre o processo que pode alavancar estudos sobre o cérebro humano. Recentemente, cientistas japoneses fizeram uma descoberta que pode revolucionar os estudos da neurociência. Trata-se de como pode se tornar possível o “implante” de pensamentos nos cérebros das pessoas.  Porém , o mais curioso é que esse processo pode ser realizado de modo que o paciente não perceba. O mistério também recai sobre a forma com que tudo é concretizado.

Processo científico

Segundo pesquisadores que se adentraram no projeto, voluntários foram colocados em máquinas de ressonância magnética, enquanto deveriam olhar para uma tela com um círculo com listras verticais. A instrução dada pelos cientistas é que os voluntários deveriam se concentrar em fazer com que o círculo branco aumentasse. O treinamento foi repetido por três dias, porém , o que pôde-se observar é que quando os participantes, embora pensassem em muitas coisas, ao pensar no “vermelho”, o círculo branco se estendia. Ao finalizar a pesquisa, os cientistas apresentaram uma tela com listras pretas e brancas.

Entretanto, ao questionarem os participantes, sobre qual cor estariam visualizando, os mesmos foram enfáticos em afirmar que enxergavam o “vermelho”. Não havia vermelho na tela. O inusitado de todos esses estudos, é que mesmo cinco meses após os testes, os voluntários continuaram a ver a cor vermelha nas listras. As pesquisas e estudos realizados proporcionaram um novo entendimento. Agora, os cientistas japoneses querem criar novas associações cerebrais. O objetivo é que, de modo inconsciente,  pacientes que sofrem de depressão possam lidar melhor com a doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *